FacebookPixel
Resultados - Opinião - Informação
Últimas notícias
Resultados - Opinião - Informação
Voltar \ Espelho meu, espelho meu, existe casa mais bonita do que eu?

Espelho meu, espelho meu, existe casa mais bonita do que eu?

15 nov 2016
Espelho meu, espelho meu, existe casa mais bonita do que eu?
Informação
Já não chega responder a uma chamada de um possível cliente, abrir uma porta, indicar onde estão a sanita e bidé (como se o cliente não tivesse olhos), dizer o número de metros quadrados e divisões, às vezes sem uma noção do que se fala, acabando a visita a pedir ao cliente que ligue a dar feedback sobre a visita.
Em pleno 2016 e com o mercado imobiliário a gozar de plena confiança, notamos subidas de preço das habitações acima dos dois dígitos percentuais em determinadas freguesias da cidade de Lisboa.
Até aqui não existe problema. Como é sabido o mercado imobiliário esteve nivelado por baixo durante alguns anos. Ainda assim, em plena crise, com todos os problemas da austeridade, congelamento de ordenados e aumento de impostos, o imobiliário conseguiu, em Lisboa, manter um grau médio de preço base alto em função da freguesia, com apenas pequenas oscilações. Sendo que na fase pré “boom turístico” que Lisboa, e que de certa maneira todo o país sofre, conseguiu crescer na ordem dos 2 a 3%. A grande subida de preços que temos vindo a assistir ultimamente e a aparente facilidade do proprietário vender de forma particular poderia levar-nos à conclusão de que a mediação estaria a perder quota de mercado. Mas nem tudo o que parece é. A verdade é que as imobiliárias estão a atingir valores recorde de vendas e o número de particulares a vender tem decrescido.
A HOMEBOOK está a gozar do seu melhor ano de faturação (embora também seja o nosso primeiro ano :) e percebemos cada vez mais que o profissionalismo dos players na industria da mediação imobiliária está a ser colocado à prova.
Já não chega responder a uma chamada de um possível cliente, abrir uma porta, indicar onde estão a sanita e bidé (como se o cliente não tivesse olhos), dizer o número de metros quadrados e divisões, às vezes sem uma noção do que se fala, acabando a visita a pedir ao cliente que ligue a dar feedback sobre a visita.
Expressões como “Tem cerca de 60 m2”, “o prédio deve ter sido construído praí à 200 anos”, ou “o IMI é alto pois o valor de venda são 300.000 euros”, entre outras, são hoje em dia proibidas.
Na HOMEBOOK todos os consultores têm experiência em negociação e vendas. Somos exigentes na qualidade do serviço. Igual se aplica nas relações que promovemos e mantemos com consultores de outras redes: procuramos trabalhar com quem apresente profissionalismo no que diz e no que faz.
Uma casa não tem cerca de x metros, uma casa tem uma área bruta privativa de x metros (cada vez mais importa saber qual a área útil, derivado ao mercado Francês e Brasileiro, que insistem que não compram paredes, mas sim área habitável)
A casa tem uma data de construção certa.
O IMI tem como base um índice sobre o valor patrimonial, e não sobre o valor de venda.
Todas as casas têm um nascente e um poente, um norte e um sul.
Na HOMEBOOK estamos preparados para responder em função da nacionalidade do cliente. Perceber as bases pelas quais estrangeiros apostam e investem em Lisboa dá-nos uma melhor perceção de como podemos melhorar pessoalmente e como equipa. Experiente não é o consultor que está à 20 anos no mercado, é aquele que se disponibiliza a aprender com cada cliente.
 
Em vez de focar uma apresentação numa sanita e num bidé, destacamos construção ou os materiais utilizados, na remodelação feita à X anos, e se for o caso, do arquiteto X. Todas as casas têm um ponto forte. Todas as casas têm uma razão para ser vendidas.
Os dados fornecidos têm de ser os corretos. O primeiro contacto com o cliente tem de ser credível, temos de apresentar a informação de forma clara e consciente. Estudar uma caderneta predial, uma planta ou uma certidão, para nós está como para uma criança na primária estudar a tabuada. Só ser educado e estar disponível não chega.
É crucial, saber enquadrar a casa na cidade. Procurar pontos de referência como escolas, hospitais, linhas de metro, autocarro e comércio pode fazer um comprador descobrir e entender necessidades que ainda não tinha pensado. Com melhor informação reduzimos o tempo médio de busca de casas dos compradores e maximizamos a nossa eficiência. Trabalhamos para vender a sua casa em 35 dias. “Time is (always) money”!
O mercado está extremamente exigente e os meios digitais disponibilizam muita informação. Então porque é que os proprietários estão a vender menos por eles próprios?
Simples. São proprietários. Por norma não estão preparados para o que o mercado pede. Hoje em dia uma casa da HOMEBOOK tem visibilidade em todo o mundo, através de parcerias, canais de promoção da especialidade, promoção em redes sociais, otimização de pesquisas e o sempre relevante “passa a palavra” de clientes satisfeitos que confiam no nosso trabalho.
E você senhor proprietário? Consegue abranger as mesmas possibilidades? Onde estão os seus canais de promoção profissional fora de Portugal?
 Na HOMEBOOK, certamente quem vem ter connosco, é sempre bem-esclarecido. Todos os meios são disponibilizados para gerar confiança. Por exemplo:  por vezes surgem barreiras linguísticas – contratamos tradutores ! E você Senhor Proprietário? Como tem estado o seu chinês nos últimos tempos J ?
Na HOMEBOOK todos os clientes são acompanhados após visita, não esperamos que o comprador nos ligue. E você senhor Proprietário? Tem falado com todas as pessoas que foram ver a sua casa?
Na HOMEBOOK aconselhamos os nossos clientes proprietários numa apropriada preparação de uma casa para uma visita. Ar respirável, sanitas com tampa para baixo e janelas abertas à hora da visita são algumas das nossas “dicas”. E você senhor Proprietário? Como está aquele cliente que era alérgico a incenso? (Também recomendamos “cheiros neutros”. Mais vale o cheiro a soalho original de 1940, que de sopa de cebola do momento ).
Na HOMEBOOK, pela experiência e pelas conversas que temos tido nos momentos de angariação, temos vindo a constatar que os proprietários têm vindo a sabotar as suas próprias vendas. E não dizemos isso com desprimor, dizemos apenas porque sabemos que uma venda feita por um particular, tem sempre uma variante emocional afeta ao imóvel que sobrecarrega o processo de venda. Num mercado vivo, o momento é tudo! E a oportunidade de venda pode muitas vezes, de uma forma otimizada, ser única. 
 
João Ribeiro
Homebooker e Co-Fundador da Homebook Portugal
Veja Também
  • Vendido, T6, Lisboa, Arroios 09 fev 2018
    Vendidos recentemente
    Vendido, T6, Lisboa, Arroios
    "É bom ter alguém em quem confiar quando temos de dar passos importantes para um futuro melhor."  Vendido pela equipa da Homebook Homebook, sinta-se em (...)
  • Relações Imobiliárias 12 set 2016
    Informação
    Relações Imobiliárias
    Os benefícios de escolher com quem trabalha são efectivamente muito maiores. Será mais fácil exigir, será mais fácil negociar, será mais fácil escolher outro caminho se o agente com que trabalha não (...)
  • Vendido, T1+1, Lisboa, Misericórdia 20 jan 2018
    Vendidos recentemente
    Vendido, T1+1, Lisboa, Misericórdia
    "É bom ter alguém em quem confiar quando temos de dar passos importantes para um futuro melhor."  Vendido pela equipa da Homebook Homebook, sinta-se em (...)